Três regras básicas: o que as franquias podem ou não fazer nas redes sociais

Três regras básicas: o que as franquias podem ou não fazer nas redes sociais

Três regras básicas: o que as franquias podem ou não fazer nas redes sociais

As redes sociais estão se consolidando como ferramenta fundamental para a comunicação entre franquias e seus clientes. No entanto, para garantir a segurança na comunicação e nas ações desenvolvidas por meio das fanpages, é fundamental seguir padrões e cuidados especificados nos manuais para franqueados. Para não criar conflitos com o franqueador e garantir a transparência, vamos entender o que as franquias podem ou não fazer nas redes sociais.
 
Para começo de conversa, a manutenção de todo tipo de página de relacionamento deve ser centralizada nas mãos do franqueador. Com isso, espera-se um controle maior do que é postado, já que ele tem pleno conhecimento sobre o que as franquias podem ou não fazer nas redes sociais. Espera-se, ainda, uma manutenção da linguagem da marca e, sobretudo, um acompanhamento de perto do que é postado pelos clientes, o que facilitará a identificação de uma crise.
 
Caso esta centralização não seja possível, o contrato entre as duas partes deve incluir, no capítulo que fala sobre as possíveis formas de utilização da marca, regras claras sobre redes sociais. Uma alternativa é incluir normas sobre o assunto nos manuais do franqueado, detalhando o que as franquias podem ou não fazer nas redes sociais.
 
Além deste procedimento básico, deve-se seguir uma rotina de cuidados com a orientação dos franqueados. Esta rotina deve incluir direcionamentos constantes. Geralmente, a maior dúvida do franqueado é sobre como ele deve agir caso algo ruim for postado em sua página. Portanto, deve-se focar neste ponto com frequência. Caso a crise aconteça, é importante que o franqueado entre em contato com o franqueador para receber orientações antes de agir ou de tomar alguma providência diretamente na rede social, como responder ao comentário negativo.
 
Outra questão delicada está relacionada à utilização do Facebook como canal de vendas. Franqueadores devem ser informados imediatamente se houver qualquer intenção de implantar o “f-commerce”, já que se trata de uma atividade regulada pelo Código de Defesa do Consumidor. Ou seja, qualquer deslize pode arranhar diretamente a imagem da marca franqueada.

Você também pode se interessar por...

O que você acha de abrir uma franquia de serviços?

O que você acha de abrir uma franquia de serviços?

O sistema de franquias vem crescendo cada vez mais no país. Inicialmente, as empresas de alimentação dominavam o segmento, mas aos poucos o franchising está se desenvolvendo e se tornando uma oportunidade para outros negócios.

+
Sistema de franquias cresce mais de 13% no Brasil

Sistema de franquias cresce mais de 13% no Brasil

O crescimento do sistema de franquias no segundo trimestre de 2015 foi 13.1% em relação ao mesmo período no ano anterior. O primeiro trimestre deste ano também contou com crescimento de 11,2% em relação ao mesmo período em 2014.

+
Confiança é ponto básico em terceirização de limpeza residencial

Confiança é ponto básico em terceirização de limpeza residencial

Entregar os cuidados de sua casa para uma empresa terceirizada requer, acima de tudo, confiança. Ficarão nas mãos desses profissionais seu lar e seus objetos pessoais, muitas vezes delicados e com um grande valor sentimental. Você espera entregar a casa e seus pertences do seu jeito e recebê-los da mesma forma. Nada disso é fácil […]

+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *